A cultura flamenca vivida na raiz

Complementando os estudos de flamenco na Espanha

Todos os anos, Deborah Nefussi, bailaora, sócia e diretora do Raies Dança Teatro – tradicional escola de cultura e dança flamenca (São Paulo, Capital) – leva seus alunos para viver uma experiência única, de cultura e aprendizado, no local onde o flamenco nasceu: a região da Andaluzia, no sul da Espanha.

Na última edição da viagem, que aconteceu entre os dias 22/02 e 10/03 deste ano, o grupo desembarcou em Córdoba. Afora a realização dos passeios turísticos tradicionais que, por si só, já encantam os turistas, os bailaores tiveram a oportunidade de conhecer o principal Tablado Flamenco* da cidade.

 

O segundo ponto de parada foi a belíssima Granada, local com forte influência árabe presente nas construções e mesquitas e onde também tiveram assistiram shows no Cueva Flamenca, tradicional tablado flamenco.

  

De Granada, rumaram para a cidade de Sevilha, onde puderam aproveitar um curso fechado, criado especialmente para o grupo: com duração de 5 dias, as aulas aconteceram no Stúdio Alicia Marquez (http://www.aliciamarquez.es/), uma importante referência da dança flamenca na Espanha. Ainda em Sevilha também puderam fazer compras de artigos para a prática do flamenco: figurino, sapatos, castanholas e outros adereços.

Festival Jerez de la frontera

Na última semana da viagem, a imersão no flamenco foi total: chegaram ao evento de flamenco mais conhecido da região, o Festival Jerez de la frontera (http://www.jerez.es/index.php?id=festival-jerez).

“Acontecem apresentações de companhias de flamenco, cursos com os principais nomes da atualidade. A cidade toda se volta para este festival e todas as atividades, seja em bares ou restaurantes, estão ligadas ao flamenco”-  afirma Deborah. “Foi uma vivência bem intensa.”

Deborah Nefussi  conta ainda que os “a cultura espanhola, principalmente do sul da Espanha, é bem parecida com a nossa, brasileira. A formação do povo Andaluz é uma mistura de culturas. Além do próprio espanhol, temos a presença marcante da cultura árabe, marcada em muitas construções preservadas. Vemos também a influência da cultura judaica, a presença de traços marroquinos nas casas de chá de Granada, por exemplo. O espanhol tem um jeito de ser – alegre, festeiro, sempre presente – que se parece muito com o nosso, brasileiro. Quando estamos lá, percebemos as semelhanças.”

Claudia Perez Trindade Fraga, aluna Raies há nove anos, e que em 2019 acompanhou o grupo liderado por Deborah nas terras espanholas pela segunda vez, acredita que o enriquecimento pessoal e cultural foram seus maiores presentes. “São mais de 3 mil anos de história! Além das belezas naturais e arquitetônicas do local. é maravilhoso beber da fonte aquilo que a gente estuda, procura, persegue todos os dias estudando o flamenco. Ali, conseguimos captar a essência do flamenco, o sentimento que eles têm com relação ao cante, ao baile, a arte, a vestimenta. Existe toda uma cultura que envolve a dança e quando a gente chega ali, entende muito mais tudo que o flamenco significa.”

 

Um dos destaques, para Claudia, foi o encontro de produções literárias riquíssimas sobre o flamenco, um diferencial que só é possível encontrar para quem se aventura pela cidade. “Lá você encontra livrarias com prateleiras e mais prateleiras de conteúdos sobre o flamenco. Isso não existe no Brasil. São livros, produções científicas, histórias, moda flamenca… fiquei encantada com a produção literária escrita, são obras clássicas, modernas, contemporâneas.”

 Michael Lemos, bailaor e professor de Flamenco do Raies, fez parte do grupo em 2015. “Eu vi flamenco todos os dias que estive lá, em diferentes lugares e, portanto, diferentes flamencos. Percebi a pluralidade do flamenco e sua generosidade: o flamenco acolhe todo mundo, todo mundo dança flamenco. E lá eu pude ter certeza disso.” – afirma. 

 

Programe-se: para 2020, a viagem ainda está em planejamento com a certeza: que irá acontecer e seguirá para o Festivel Jerez de la Frontera, entre os meses de fevereiro e março.

No Aqui Ali, as aulas de flamenco acontecem:
Segundas, Aqui Ali Centro, 19h às 20h
Segundas, Aqui Ali Centro, 20h às 21h
Quartas, Aqui Ali Pinheiros, 19h às 20h e das 20h às 21h
Informações: contato@aquialidanca.com.br

* Um tablado é como um bar com mesas, cadeiras, ou em formato de pequeno auditório, cuja atividade específica é a realização de apresentações de Flamenco.