Flavio Marques e Fernando de la Rua:

difundindo a arte flamenca há mais de 20 anos.

Fernando de la Rua é um músico brasileiro, guitarrista de flamenco que reside na Espanha. Nos anos 90 foi mestre de Flavio Marques, “meu primeiro professor de guitarra flamenca”. Ainda no Brasil, e posteriormente em Madri (Espanha), os dois construíram uma história de parceria e muito trabalho que os levou ao reconhecimento internacional, tocando juntos em vários locais ao redor do mundo.

Recentemente, em dezembro de 2019, Fernando de la Rua foi convidado – juntamente com sua esposa, a importante bailaora da cena flamenca, Yara Castro -, por Flavio Marques, para a realização de um workshop seguido de um sarau, que aconteceu no Aqui Ali Pinheiros. “Foi um sucesso. Vieram Flamencos de todo o Brasil, profissionais, alunos, amantes do flamenco em geral”.

A história de uma parceria que começou na sala de aula

e continuou nos palcos mundo afora

Flavio conta que conheceu Fernando de la Rua em 1994, no Centro Flamenco Pepe de Córdoba (localizado na Rua dos Ingleses, em São Paulo). “Eu tinha quinze anos, mas antes disso já conhecia seu trabalho por meio do meu primo, César Marques. Ele era solista da banda Gipsy Kings Cover e queimou a mão. Fernando o substituiu. Nesta ocasião eu era um menino, tinha 12 anos de idade. Depois ele gravou uma propaganda muito emblemática com a Yara Castro e a Marisol Jardin, cantaora, que eu vi na televisão.”

Já envolvido com o flamenco, além de tocar e cantar com Fernando de La Rua e Laurita Castro, Flavio começou a ser solicitado por outros grupos importantes de flamenco na época, em São Paulo e no Brasil, como o Raies Dança Teatro, a Triana Flamenca da Adriana Guelpa, Jussara Correa, Alanda Luz, Ana Esmeralda.  

Passaram-se vários anos e a parceria entre os dois guitarristas continuou crescendo: “Viajávamos o Brasil inteiro – Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Nordeste, Goiás… enfim, fazendo shows. Fernando ia todos os anos com a Yara para a Espanha – estudar, fazer aulas com os professores –  e eu ainda era um adolescente, não tinha essa autonomia. Somente quando conclui meus estudos no colégio, em 1998, fui para a Espanha para ficar 3 meses e acabei ficando 18 anos. No ano 2000 fixei residência em Madri – Fernando e Yara também se mudaram para lá neste ano. Nos ajudávamos muito nas coisas de trabalho, quando um não podia, indicava o outro ou quando podíamos, tocávamos os dois juntos com vários bailaores, em diversos tablados. Tivemos contratos em vários outros países.”

Foi a partir desse convívio em Madri, que os dois músicos acabaram por criar uma nova identidade sonora de guitarra flamenca. “Éramos conhecidos como os 2 guitarristas flamencos que marcaram tendência em Madri ao criar uma forma diferente de tocar guitarra flamenca, acompanhar o baile, compor – criamos uma identidade diferente e influenciamos vários outros guitarristas. Por tudo isso, éramos muito disputados por bailaores famosos como Manuel Liñán, Marco Flores, Olga Perisse, Rafaela Carrasco, Alfonso Losa, Jose Maya, Manuel Rejes, Belem Maya.”

Atualmente Flavio mora no Brasil e segue a sua vocação, além de tocar e compor, com seu projeto Total Flamenco, engajado no ensino da guitarra flamenca e na difusão desta cultura – considerada pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade, realizando eventos, saraus e workshops.

Em fevereiro de 2020, Flavio irá participar, a convite de Yara Castro, do workshop Bulerias, no Aqui Ali Unidade Centro – Palacete Teresa. O evento terá duração de 3horas. “É importante que as pessoas dos meios artísticos, das artes em geral, se unam, prestigiem e promovam juntos eventos. É importante a união no meio artístico para que os movimentos, os estilos, as expressões e manifestações artísticas ganhem força, corpo e, de fato, sejam transmitidas e difundidas com bastante força, ímpeto, ganhando espaço, o mundo!”- finaliza, com a certeza de quem construiu toda uma história de vida e sucesso juntamente com um parceria estabelecida desde o começo de sua carreira.